Qual é a sua Fé?

A Função da Torah e de um Tsadik!

O Eterno definiu o conceito de FÉ. Como demonstrar Amor ao ETERNO? Porque uma pessoa que se afasta do Tsadik que a ajudou a se conectar com o Eterno, se sente perdida?

Existem muitas manifestações de fé nas diversas religiões ao redor do mundo. Mas, qual é a Fé que foi estabelecida pelo Eterno na Torah? Tendo este conceito de Fé como referencial, as definições equivocadas são as vezes fáceis de identificar e outras vezes são muito sutis. Mas, para nos protegermos destas armadilhas, vamos definir de forma clara a Fé que foi estabelecida pelo Eterno.

A definição em si é tão importante que o Eterno estabeleceu uma Mitzvá de que este conceito fosse repetido por nós ao levantar e ao dormir e ensinado constantemente, em todo o momento e em todo o lugar. Uma frase simples mas profunda define a nossa Fé:

OUVE ISRAEL (A quem foi outorgado as revelações da Torah e foi escolhida como a nação fiel que serve ao Eterno e mantém fielmente este conceito de Fé). O ETERNO É NOSSO D'US (ou seja, não existe outro além Dele e todos podem se conectar diretamente a Ele, dizendo "meu D'us" sem mediadores ou qualquer tipo de intermediário), O ETERNO É UM (ou seja, indivisível, incorpóreo e o Único com uma Unidade perfeita e imutável). À esta definição não se pode agregar absolutamente nada. A nossa Fé, para ser verdadeira, só pode ser fundamentada nesta declaração, pois não existe um segundo conceito ou D'us nos livre, uma segunda pessoa, que possa ser agregada a esta declaração de Fé.

Se o ETERNO é o seu D'US e você entende que ELE é UM, como tem ensinado o povo judeu desde que recebeu a Torah no Sinai, então você tem a Fé que foi estabelecida pelo Eterno.

Se de alguma forma uma pessoa que estava desconectada do Eterno, acordou através da luz de um Tsadik, e fez uma teshuvá, esta pessoa se conecta ao Eterno e passa a estudar e praticar a Torah para manter e se aprofundar no seu relacionamento com o Eterno.

Porém, se de alguma forma ela perder a ligação com o Tsadik, ela ainda tem a conexão com o Eterno e a Torah e deveria ficar bem de qualquer forma. Mas, a pergunta é: Por que a maioria das pessoas que perdem a ligação com o Tsadik que a acordou para buscar o Eterno, acabam perdidas, sem rumo? O problema é que muitas destas pessoas acabam perdendo a inspiração para praticarem a Torah e infelizmente se afastam do Eterno.

Isto não tem nada a ver com a questão da Fé, pois como vimos, a Fé está ligada exclusivamente ao Eterno. Mas, existe um segredo que passa desapercebido por muitos e é fundamental entendermos isto.

Todo discípulo que foi ajudado por um Tsadik de alguma forma está conectado a ele através da sua missão. Em outras palavras, quando uma pessoa é ajudada por um Tsadik que a aproxima do Eterno e da Torah, a missão desta pessoa está ligada diretamente ao Tsadik que a ajudou. Então, quando ela se desliga do Tsadik, embora ela ainda tem a Fé no Eterno, ela se sente perdida, sem um propósito na vida, e isto pode levá-la a perder a inspiração para cumprir a Torah e consequentemente a se desconectar do Eterno.

A nossa missão está ligada diretamente ao Tsadik que nos aproximou do Eterno e da Torah, e produzimos fruto na medida que cumprimos esta missão. Porém, existem exceções, e uma pessoa pode manter a Fé mesmo se desligando de um Tsadik que a ajudou a se aproximar do Eterno, mas na maioria das vezes isto não acontece. Como ensinou o Tsadik, nós damos frutos (relacionados a nossa missão) na medida que estamos ligados a ele.

Então, pratique a Torah, mantenha a ligação com o Tsadik que o aproximou do Eterno e acima de tudo mantenha a sua Fé no Eterno, pois Ele é o nosso D'us e Ele é Um.

Como demonstrar amor ao Eterno?

Existem regras de como demonstrarmos amor às pessoas ao nosso redor. A maneira como um casal se relaciona entre si é diferente do relacionamento dos pais com os filhos ou entre amigos. Em todos os casos existem critérios e a própria Torah regulamenta a maneira como demonstrar amor nestes diferentes tipos de relacionamentos.

Quando declaramos a nossa Fé, de que o Eterno é nosso D'us e Ele é Um, o texto que segue esta declaração nos instrui a amar o Eterno com toda a nossa alma, todo o nosso coração e com todos os recursos abundantes que possuímos. Mas, como demonstrar amor ao Eterno?

A resposta é tão simples, mas tão poucos entendem. Muitos confundem o relacionamento com o Eterno com relacionamentos humanos. Outros desviam a sua fé para outra pessoa, como a figura do messias no cristianismo, que se torna o centro das atenções e infelizmente da adoração. Outros colocam o messias no mesmo nível do Eterno, e adquirem uma concepção de fé incompatível com a Torah. Mas, qual é o segredo então, de demonstrar amor ao Eterno?

O primeiro passo é professar a nossa Fé de que o Eterno é nosso D'us, absorver o conceito da Unidade Dele, e após isto demonstrar amor através da prática das Mitzvot. As Mitzvot refletem a vontade do Eterno, o que O agrada e o que O desagrada, então amar é fazer o que Ele gosta e evitar o que Ele desaprova. Não existe outra maneira de demonstrar amor ao Eterno, a não ser cumprir Suas Mitzvot (mandamentos). Quem O ama, guarda os seus mandamentos e se deleita em fazer a Sua vontade.

Marcos Andrade Abrão


Continue Lendo

Yom Teruah | Rosh Hashanah

Aprendendo sobre Yom Teruah/Rosh Hashanah:

Esta festa comemora o Novo Ano Judaico [agora iniciamos o ano de 5777], pode ser chamada de Yom Teruah (Dia do Toque [do Shofar]) ou de Rosh Hashanah (Cabeça [Início] do Ano).

O livro de Selichot contém rezas de arrependimento. No mês de Elul, dizemos que "Hamelech Bassade", o Rei está no Campo - nestes dias Hashem está mais perto de nós para nos ouvir e perdoar se estivermos arrependidos verdadeira e sinceramente. Segundo a tradição ashkenazi, Selichot são recitadas durante a semana que antecede Rosh Hashanah e continuam nos 10 dias de teshuvá entre Rosh Hashanah e Yom Kipur [com exceção do dia 3 de Tishrei em razão do jejum/Tsom Guedalia]. Os sefaradim recitam durante todo o mês de Elul e também continuam nos 10 dias de teshuvá entre Rosh Hashanah e Yom Kipur.

Nesta festa, ao invés de usarmos o Sidur, usamos o Machzor, que contém rezas adicionais para este dia e outros feriados, como Yom Kipur.

Durante todo o mês de Elul [com exceção do shabat e véspera de Rosh Hashanah] e nos feriados de Rosh Hashanah, Yom Kipur e Sucot tocamos o Shofar em momentos e sequências específicas, os seus toques [Tekiah, Shevarim e Teruah] despertam nossa alma para teshuvah, arrependimento e para a Gueulah (Redenção), que seja breve e em nossos dias.

É costume comermos alimentos com mel, que em hebraico é "Devash" - o valor numérico equivale as palavras "Av Harachamim", Pai Misericordioso. Neste dia, pedimos que os decretos de Hashem para nós sejam amenizados por sua misericórdia, e tenhamos um ano bom e doce.

Além de termos a tradição de comer maçã, chalah (redonda pra simbolizar continuidade e eternidade), peixe (para que sejamos frutíferos e multiplicados e que Hashem esteja sempre atento a nós), tâmara (para que acabem nossos inimigos - 'yitámu, em hebraico que é parecido com "tamar"), e outros alimentos, comemos as romãs, Rimonim em hebraico, que segundo a tradição têm 613 sementes/caroços - e então pedimos que nossos méritos cresçam como o número de sementes da romã.

Shanah Tovah Umetukah! Que tenhamos um ano bom e doce!

Leia mais nos nossos sites:


Equipe Beit El Shamah


Continue Lendo

Aproximando-se da Torah

Aproxime-se da Torah, lute contra Amalec e aproveite os momentos de guerra para alcançar um nível espiritual mais elevado!

Se você tem inspiração para praticar a Torah, fazer as rezas diárias, as bênçãos antes e depois das refeições; se você pratica a Tsedaká e aprendeu a ter um coração generoso com as pessoas necessitadas; se você tem uma vontade muito grande de ensinar outras pessoas a também praticarem a Torah e desfruta dos momentos quando estuda a Torah, então sua alma está iluminada, você de fato está conectado(a) com o ETERNO.

Caso você não tenha mais ânimo para fazer as coisas relatadas acima, que um dia você praticou; se você se ressente das pessoas que continuam praticando e estudando a Torah, e passa a sentir ódio delas; se a sua boca, que no passado recitava as bênçãos, agora inventa todo o tipo de mentiras e falsidades para atacar os outros. Então sua alma está infectada pelo vírus de Amalec.

Devemos lutar contra Amalec, é uma Mitzvá, pois Amalec ataca as pessoas fragilizadas e de maneira direta ou sutil afasta as pessoas da Torah. O crime não compensa e a justiça tarda mas não falha, e mais cedo ou mais tarde Amalec perece pelo próprio mal que brota dentro dele. Mas, enquanto Amalec está agindo, precisamos lutar contra ele, protegendo as pessoas dos seus ataques, desmascarando as mentiras de Amalec, avisando as pessoas para terem cuidado com Amalec, e orando para que venha logo o julgamento de Amalec.

Mas, acima de tudo, seja feliz praticando a Torah, agradeça ao Eterno por tudo o que acontece na sua vida, pois mesmo as batalhas que enfrentamos são uma bênção, pois nos concedem uma excelente oportunidade de nos elevarmos.

Uma semana maravilhosa para TODOS!

Marcos Andrade Abrão


Continue Lendo

Seja Feliz e Deixe os Outros Serem Felizes

Cada um viva segundo a configuração que o Eterno lhe concedeu, mas, com alegria e dedicando sua vida a servir ao ETERNO no universo da sua própria existência. Só não deixe que ninguém tente roubar a visão que o Eterno concedeu a você!

Neste tempo, muitos, mas muitos mesmo, estão se voltando para o Judaísmo. Cada um tentando encontrar um lugar para servir ao Eterno. Mas, a impressão que dá é que virou um 'ENGARRAFAMENTO" e tem muita gente "xingando" os que estão ao redor. Tem gente andando devagar na pista de alta velocidade e gente correndo muito e atropelando pessoas. É hora de ORGANIZAR!

Têm pessoas que não sabem viver sem estudar a Torah, sem as rezas diárias, sem tzniut, sem colocar o Tefilin, sem tocar na mezuzá quando passa pelas portas de sua casa, então que façam isto com muita alegria. Baruch Hashem, pois afinal de contas, a prática da Torah é o objetivo sagrado, a vontade do ETERNO. Que a Teshuvá destas pessoas seja plena, e possam viver como judeus para sempre.

Para algumas pessoas, tzniut é um fardo, fazer as rezas diárias é um hábito difícil de adquirir, e, portanto, um padrão de b'nei Noach encaixaria melhor em suas vidas. Então, viva e seja feliz como b'nei Noach.

O problema com algumas pessoas, é que ao invés de serem felizes com a configuração que foi preparada para suas vidas, passam a se comparar com os outros e se sentirem mal, inferioriores, ou orgulhosas e arrogantes.

Vamos parar com isto. Cada um viva segundo a configuração que o Eterno lhe concedeu, mas com alegria e dedicando a sua vida a servir ao ETERNO no universo da sua própria existência.

Quanto a estas pessoas desagradáveis que ficam falando mal dos outros, que por não ter nada de bom para dar, vivem importunando os outros, transferem suas frustrações para os outros e se tornam instrumentos do mal. Pessoas que jamais assumem a responsabilidade pelos seus erros e tentam enganar os outros e a si mesmos, culpando todos pelo seu próprio fracasso, que o Eterno traga sobre elas a devida recompensa pelas suas más obras, ou melhor, que façam teshuvá e encontrem também um lugar de serviço ao Eterno.

Não deixe que ninguém roube sua visão. Cuidado com Amalek, que tira das pessoas o desejo de estudar e praticar a Torah!

E ao invés de atropelar as pessoas, ajude os que caem!




Continue Lendo

Por que devemos agradecer por todas as coisas?

Por trás de cada situação difícil está escondido um presente que foi enviado pelo Eterno!

Quanto mais conhecemos o Eterno mais entendemos isto. Todas as coisas inevitavelmente irão contribuir para o bem daqueles que amam o Eterno e vivem segundo o Seu propósito. Este ensinamento de um dos discípulos do Tsadik, que está plenamente harmonizado com o pensamento judaico, é uma grande verdade. Mas, o que ganhamos com esta visão?

Primeiro não nutrimos ódio no nosso coração pois enxergamos as coisas de cima para baixo e não de baixo para cima. Ou seja, entendemos que por trás de cada situação difícil existe um presente que foi enviado pelo Eterno. Da mesma forma que as situações difíceis surgem, elas vão embora, mas a questão é: Aprendemos ou não com as lições que o Eterno está sempre tentando nos ensinar?

Se guardamos o nosso coração e não permitirmos que sentimentos ruins sejam nutridos, e ao mesmo tempo aprendermos as lições que o Eterno disponibiliza para todos nós, então podemos receber todos os presentes que Ele nos envia, seja através de situações boas ou situações difíceis.

Não se enganem, o Desejo do Eterno é sempre de nos abençoar, mesmo quando o presente vem agregado a testes que precisamos passar.

Shavua tov!

Marcos Andrade Abrão


Continue Lendo

Guardando os Portões da Nossa Alma

Coloque Juízes e Policiais para guardar os PORTÕES da sua ALMA!

O Eterno ordenou que as tribos tivessem juízes e policiais, a fim de que a justiça estabelecida na Torah fosse aplicada sobre toda a nação de Israel. Mas, os sábios ensinam que no sentido mais profundo, isto se refere a nossa alma. Quando realmente absorvemos a Torah, estudando e colocando em prática as Mitsvot, então "juízes" e "policiais" são supridos para todos os portais da nossa alma. Não só os 5 sentidos, mas para portais mais profundos que dizem respeito aos sentidos espirituais. Então, o que ouvimos, o que falamos, o que tocamos, o que vemos e mesmo o cheiro das coisas afetam a nossa alma.

A Torah restabelece o governo da Alma Divina e consequentemente a maneira correta de julgar situações. Se você se aproximar do Eterno, estudar e praticar a Torah, então nenhuma palavra enganosa ou visão ilusória, ou qualquer outra coisa poderá desviar você do caminho do Eterno.

Quem tem juízes e policias para guardar a sua alma, nunca se desviará do caminho! O Caminho que foi estabelecido pelo Eterno está na Torah! O Mashiach e os tsadikim ajudam muitas pessoas a retornarem a este caminho e quem está nele precisa preservar a sua alma para que ninguém tente roubar a sua visão.

Uma Boa Semana para Todos!

Continue Lendo

Como são testados aqueles que recebem a verdade e se aproximam da Torah?

É muito interessante pois o teste não ocorre apenas no âmbito pessoal de quem está se aproximando da Torah, mas nos ataques à pessoa que está ajudando-o a se aproximar da Torah. O objetivo disto é que a pessoa que está sendo ajudada possa ter o mérito de receber a luz que está sendo transmitida a ela. Por outro lado, quem está aproximando as pessoas da Torah também recebe mérito pelas aflições sofridas e também é testado - o quanto está disposto a renunciar o orgulho, pois o ataque ocorre justamente com difamações. Abaixo um texto do Rabi Nachman de Breslev. Leiam com atenção, pois ao ler entendi porque os vídeos de agradecimento dos membros da Beit El Shamah, estão trazendo tanta luz.

"A pessoa que trabalha para APROXIMAR ALMAS DA TORAH deve esperar contestações e provas (Likutei Maharan I,228). Isto é para conservar o mérito dos que o ouvem. Pois se o homem assim fosse amado e aprovado por todos, não haveria nenhum mérito em escutá-lo. O próprio Rabi Nachman, cuja obra essencial consiste em aproximar seus irmãos da verdade, sofreu violentos ataques. Ainda mais virulentos foram os que teve de sofrer o seu caro aluno Rabi Natan. Contudo, a luz do seu ensinamento brilha com um brilho tão puro... Mas, este brilho é ofuscado pelas controvérsias das quais ele foi objeto. Aquele que se dedicar , que renunciar ao seu orgulho, poderá descobrir esta luz, regozijar-se nela e curar a sua alma. Quanto aquele que temer a opinião das massas , este privar-se-á de maravilhosas graças". Do LIVRO: Rabi Nachman de Breslav.


Marcos Andrade Abrão 
Continue Lendo

Mantenha o seu coração cheio de LUZ; no final, tudo contribui para o BEM.

Várias circunstâncias na vida tentam contaminar o nosso coração, mas é preciso preservá-lo a fim de manter a conexão com o ETERNO. Todas as circunstâncias difíceis passam, e entre altos e baixos crescemos, se não permitirmos que o nosso coração seja contaminado. O segredo é a forma como enxergamos as coisas, adequando as situações à sabedoria Divina que é dada a cada um que busca o Eterno. No final, podemos chegar à conclusão de que um dos discípulos do Tsadik ensinou e que é um conceito genuinamente judaico: "TODAS AS COISAS, acabam contribuindo para o bem da pessoa que ama o ETERNO (e nunca deixou de amar, mesmo nas situações difíceis), daquela que vive segundo um propósito Divino (e não só para si mesmo)".

Marcos Andrade Abrão

Continue Lendo

Uma lição sobre Tisha Beav

TISHA BEAV - Uma lição importante neste dia.

Se aproxima Tisha BeAv que tem muitas lições para aprendermos. Mas, uma das lições deste jejum se refere ao primeiro fato que originou uma configuração desfavorável para este dia. O ocorrido foi a murmuração dos espias, 10 deles, que haviam sido enviados para ver as terras que seriam dadas ao povo judeu. Posteriormente, neste mesmo dia houve a destruição dos dois templos. Mas, qual é esta lição, que entre outras, precisamos absorver neste jejum?

Existem algumas atitudes negativas que fluem de uma forma muito natural na vida de todas as pessoas. Para evitá-las precisamos ter uma espiritualidade real, fruto de uma conexão genuína com o Eterno. É a ingratidão, a visão negativa das coisas - mesmo quando são positivas-, a percepção da realidade sem uma atitude de confiança no Eterno, que leva a conclusões erradas e sentimentos ruins. E o mais grave, reclamar de uma situação boa. Se precisamos ver algo de bom mesmo em uma situação ruim e agradecer por situações boas, o inverso é encontrar algo de ruim mesmo em situações boas e reclamar em situações ruins, só enxergando o mal nelas.

Se cada um procurar corrigir seus próprios erros, juntos vamos contribuir mais do que imaginamos para a reconstrução do Templo, e que seja em breve e em nossos dias, B'ezrat Hashem!

"Aquele que procura sempre melhorar seu caminho, a este mostrarei a redenção Divina". 
Tehilim (Salmos) 50: 23b



Marcos Andrade Abrão



Continue Lendo

"O Objetivo dos Objetivos"

O Maior DESEJO! A maior ALEGRIA! A grande META! O AMOR Primordial!

Existe um desejo dentro de nós que ultrapassa todos os desejos. Este desejo proporciona uma satisfação e prazer a que nenhum outro desejo pode se comparar. Este desejo primordial deve ser a nossa maior motivação da vida. Ele não anula os outros desejos, mas ao alcançá-lo, passamos a viver com um nível de consciência diferenciado e uma percepção aguçada que transcende a visão turva resultante dos filtros que existem pelo fato de estarmos em um corpo físico.

O Mashiach, os Tsadikim, a Torah, as Mitzvót, a Halachá, os escritos e ensinos rabínicos, em fim, tudo o que nos ajuda na jornada aponta para este desejo. O segredo está na maior Mitzvá (mandamento): Ouve Israel, o Eterno é nosso D'us, o Eterno é UM. Este é o primeiro passo resultante da Teshuvá e da imersão na Torah. O segundo passo que nos leva a imergir pouco a pouco neste desejo primordial é: AMARÁS o ETERNO de todo o teu coração, de toda a tua alma e com todos os recursos que você possui.

O grande DESEJO da nossa alma é nos aproximar do ETERNO, quebrando a insensibilidade e aprendendo a imergir no Seu amor. É algo indescritível, e mesmo uma pequena experiência de imersão já causa uma sensação incrível de satisfação na nossa alma. Pouco a pouco a centelha Divina que o Eterno colocou dentro de nós para que possamos nos aproximar Dele é despertada e o prazer resultante transcende qualquer outro prazer que este mundo possa proporcionar.

Quando estamos próximos do Eterno todo o sacrifício parece pequeno, e somos envolvidos no Seu amor.


Continue Lendo