Beit El Shamah ®. Todos os Direitos Reservados.

+55 (21) 2490-2427 

NASCIDO DE UMA VIRGEM ou MOÇA JOVEM?

 

Yeshayahu (Isaías) 7:14


A alteração que a igreja de cristo fez para dar aval ao nascimento virgina...l de um messias deus (jesus).

A igreja de Roma para dar aval ao suposto cumprimento de uma profecia a respeito do nascimento do Messias através de uma “virgem” teria que ligar o enxerto de seu livro (novo testamento) à alguma profecia do Tanach (A Torah e os Profetas) que para eles é chamado de velho testamento.

Comparando os textos com a palavra atribuída a “virgem”:

* Mateus 1:18-23 (tradução cristã);

18 Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Que estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter concebido do Espírito Santo.

19 Então José, seu marido, como era justo, e a não queria infamar, intentou deixá-la secretamente.

20 E, projetando ele isto, eis que em sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: “José, filho (referindo-se a sua genealogia) de Davi”, não temas receber a Maria, tua mulher, porque o que nela está gerado é do Espírito Santo;

21 E dará à luz um filho e chamarás o seu nome jesus; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.

22 Tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor, pelo profeta, que diz;

23 Eis que a “VIRGEM” conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, Que traduzido é: Deus conosco.

O versículo 23 de Mateus 1 esta induzindo a profecia do Profeta Yeshayahu (Isaías) 7:14, que no original Hebraico está assim:

“:יד. לָכֵן יִתֵּן אֲדֹנָי הוּא לָכֶם אוֹת הִנֵּה הָעַלְמָה הָרָה וְיֹלֶדֶת בֵּן וְקָרָאת שְׁמוֹ עִמָּנוּ אֵל”

"Eis pois que o ETERNO, Ele mesmo, vos dará um sinal: eis que a ´MOÇA, JOVEM´ grávida, dará à luz um filho e o chamará Imanuel."

A palavra em referência aos dois textos é "Almah= עַלְמָה” que no Hebraico significa "MOÇA, JOVEM" e nunca poderia ser traduzido como "VIRGEM".

Esta mesma palavra “Almah, עַלְמָה = MOÇA, JOVEM” em outras passagens da bíblia cristã aparece corretamente como “MOÇA OU JOVEM” e só neste versículo de MT 1:23 e Yeshayahu (Isaías) 7:14 que aparece como “VIRGEM”. Isso deixa claro que trata-se uma adaptação.

Esta palavra “Almah, עַלְמָה = MOÇA, JOVEM” aparece na Bíblia apenas 7 vezes  referindo-se a uma “MOÇA, JOVEM” e não “VIRGEM”.

Exemplo: Mishlei (Provérbios) 30:18-20:

18 Estas três coisas me maravilham; e quatro há que não conheço:

19 O caminho (O RASTRO) da águia no ar; o caminho (O RASTRO) da cobra na pedra; o caminho (O RASTRO) do navio no meio do mar; e o caminho (O RASTRO) do homem com uma “MOÇA, JOVEM”.

20 O caminho (O RASTRO) da mulher adúltera é assim (SEMELHANTE A ESTES): ela come, depois limpa a sua boca e diz: Não fiz nada de mal “de errado” (SEM DEIXAR RASTRO)!

Analizando este texto nas palavras de Shlomoh (Salomão), vemos claramente que ele compara os quatro primeiros exemplos impossíveis de se deixar rastro (marcas no caminho) com uma mulher adúltera, infiel, mas, se colocarmos na tradução da palavra “Almah, עַלְמָה = MOÇA, JOVEM” como “VIRGEM”, o versículo perderia completamente o sentido, pois não deixaria UMA VIRGEM UM RASTRO já que seu hímen foi rompido? E uma mulher não virgem não seria percebido seu delito, pois ao se assear não haveria mais provas visíveis “RASTRO”, se não fosse pego no ato dos quatro exemplos dados por Shlomoh (Salomão).

A palavra "virgem" no Hebraico é "betulah, בְּתוּלָה”, que pelo mesmo Profeta Yeshayahu (Isaías) é mencionada por cinco vezes nos capítulos 23:4 / 23:12 / 37:22 / 47:1 / 62:5. Já a palavra “Almah, עַלְמָה = MOÇA, JOVEM” é mencionada por ele apenas uma vez no capítulo 7:14.

(Obs.: Os capítulos mencionados estão nos textos originais de Yeshayahu “Isaías” no Hebraico, podendo haver variações nas inúmeras traduções confusas por pessoas não habilitadas do conhecimento da Língua Sagrada, o Hebraico).

As religiões apostatas (cristãs) alegam que a palavra grega "parthenos" foi utilizada para traduzir a palavra “Almah, עַלְמָה = MOÇA, JOVEM” do Hebraico pelos negligentes e imprudentes, pra não dizer ignorantes, alegando que esta palavra pode ser interpretada como “VIRGEM”, na versão da Septuaginta.

O grande problema também esta aí; eles também alegam que a Septuaginta conhecida como a versão dos setenta anciãos Judeus (que na verdade foram 72) à quase 2000 anos atrás deveria ser aceita pois foram feitas por Judeus, bom! Neste caso os Judeus são aceitos? Há mais um problema nesta história: A Septuaginta ou a versão dos setenta foi feita apenas nos cinco primeiros Livros da Torah (O Pentateuco, As Leis de Moshê “Moisés”), os profetas não faziam parte, ordenados pelo rei do Egito Ptolomeu II Filadelfo, sendo concluídas as traduções dos restantes dos livros pelos próprios gregos. Como relata as referências seguintes:


Existe um relato desta tradução (Septuaginta) na "Carta de Aristeias" em que o rei do Egito Ptolomeu II Filadelfo pede para 72 anciãos (Sábios) Judeus que traduzam os cinco primeiros livros das Escrituras Sagradas “TORAH”, do Hebraico para o Grego, com a intensão de incluí-la na Biblioteca de Alexandria. Isto é, confirma que a versão dos setenta (Septuaginta) foi compilada apenas com a “TORAH” pelos Sábios Judeus.


Também podemos confirmar este relato no “TALMUD BAVLI TRATADO MEGILAH, PÁGINA 9a-9b”. É também confirmada pelo historiador Flávio Josephus em sua obra literária “Antiguidades Judaicas, livro 12, capítulo 2, versículos 11-15.

 

O católico S. Jerônimo que foi o tradutor da Bíblia para o Latim conhecida como “Vulgata” que assume publicamente em uma carta ao papa Dâmaso, no ano 384 d.c. que adulterou, modificou e enxertou palavras e textos inteiros em sua tradução (Vulgata) para dar aval a doutrina cristã, também declara que:

"Josephus, que conta a história dos Setenta Tradutores, relata que eles traduziram somente os cinco livros de Moisés “Torah”; e nós também reconhecemos que está mais em harmonia com o Hebraico que o restante." (S.Jerônimo, Preface to the Book of Hebrew Questions, Nicene and Post-Nicene Fathers, Volume 6. Pg. 487).

S. Jerônimo também explica que os outros livros da bíblia cristã foram inseridos à Septuaginta pelo clero católico (utilizado por todos os seguimentos cristãos) confirmando não estarem em harmonia com os originais Hebraicos, os cinco primeiros livros “TORAH”. (Dicionário cristão "The Anchor Bible Dictionary", Volume 5 pg. 1093).

O Teólogo cristão, Professor Dr. F.F.Bruce explica que:

"Os Judeus podem ter, em algum momento posterior autorizado um texto padrão para o resto da Septuaginta, mas perderam o interesse na Septuaginta por completo. Com pouquíssimas exceções, todos os manuscritos da Septuaginta que chegaram até os nossos dias foi copiado e preservado no meio cristão, e não Judaico." (F.F. Bruce, The Books and the Parchments, p.150.).

Logo o argumento cristão de que a septuaginta tem aval Judaico cai completamente por terra.

Continuando a analisarmos os textos na Septuaginta que utiliza a palavra grega “Parthenos” que deu aval a palavra “VIRGEM” de Mateus 1:23 e Isaías 7:14, neste mesmo exemplar a mesma palavra referida em outros livros não é traduzida como “VIRGEM” e sim “MOÇA”. Exemplo:

Gênesis 34:2-4 "E Siquém, filho de Hamor, heveu, príncipe daquela terra, viu-a, e tomou-a, e deitou-se com ela, e humilhou-a. E apegou-se a sua alma com Diná, filha de Jacó, e amou a “MOÇA” (Parthenos) e falou afetuosamente à “MOÇA” (Parthenos). Falou também Siquém a Hamor, seu pai, dizendo: Toma-me esta “MOÇA” (Parthenos) por mulher."

Podemos concluir que a própria palavra “Parthenos” do Grego não é traduzida como “VIRGEM” em alguns textos, isto é, só quando querem dar a entender a sentido que lhes parece correto, deixando claro que foi colocada no texto de Isaías 7:14 como “VIRGEM” simplesmente para dar aval a doutrina da “virgem”, doutrina esta que é cultuada entre diversos seguimentos pagãos por séculos e séculos, de mortais sendo concebidos pelos panteões de deuses pagãos partes de uma trindade sendo assim também um deus. 

- David Stern em seu livro "Jewish New Testament Comentary" fez um comentário sobre um texto de Rashi (Rabbi Shlomo Yitzchaki) erroneamente que diz:

* "O mais famoso comentarista medieval da Bíblia Judaica, o Rabino Shlomo Yitzchaki ("Rashi", 1040-1105), que se opôs decididamente contra a interpretação cristológica do Tanakh, no entanto, escreveu em Isaías 7:14: "Eis que a almah conceberá e dará à luz um filho e porás o nome de Immanu'el '. Isto significa que o nosso Criador estará conosco. Este é o sinal: Aquela que irá conceber é uma menina (na'arah) que nunca em sua vida teve relações sexuais com qualquer homem. Sobre esta o Espírito Santo terá poder. "

O problema é que Rashi (Rabbi Shlomo Yitzchaki) nunca disse isso, vejamos suas palavras verdadeiras:

"Immanuel: (D'us é conosco) Isto significa, que nossa Rocha estará conosco, e esse é o sinal: Ela é uma “JOVEM” que nunca PROFETIZOU (nitneviet: נתנבאית) e ainda assim a “INSPIRAÇÃO” Divina vai repousar sobre ela."

O Messias deve ser descendente de David por parte de pai de acordo com os Preceitos da Torah (Números 1:1-3) e as profecias:

* Bereshit Gênesis) 49:10 Não se tirará o poder de Yehudah (Judá), nem a vara (o cetro) de comando dentre seus pés, até que venha a “Shiló” (Alusão ao reino do Messias), e a ele a reunião de povos seguirá (em obediência).

*Yeshayahu (Isaías) 11:1 No entanto, um ramo emergirá do trono de Yishai (Jessé, pai de David), um broto crescerá de suas raízes (descendência na carne). O Espírito dO ETERNO repousará sobre ele, o Espírito de sabedoria (Chochmar) e entendimento (Binah), o Espírito de conselho (Hesed) e poder (Gevurah), o Espírito do conhecimento (Daat) e temor dO ETERNO.

- Tehilim (Salmos) 89:3,4 Fiz uma aliança com Meu escolhido, jurei a Meu servo David (Meu ungido): Estabelecerei sua linhagem para sempre (descendentes físicos eternamente) e firmarei seu trono por todas as gerações.

- Tehilim (Salmos) 132:11; 17
11 O ETERNO fez um JURAMENTO a David, UM VOTO QUE NÃO SE QUEBRARÁ (ETERNO): “UM DE SEUS DESCENDENTES SE ASSENTARÁ EM SEU TRONO”.


17 Farei que ali brote UM REI DA LINHAGEM DE DAVID e prepararei uma lâmpada para MEU UNGIDO.

No próprio novo testamento está mais uma contradição no que se prega;

-Rm 1:2 D’US prometeu estas boas novas (ensinamentos mais profundos das Escrituras) de antemão (com antecedência) por meio de Seus profetas no Tanach (A.T.) 3 Elas dizem a respeito de Seu filho (o ungido), ELE É DESCENDENTE FÍSICO DE DAVID.

De acordo com a tese cristã, seu messias veio de uma “VIRGEM”, não tem a genealogia do pai descendente de David. Sendo assim filho de uma “VIRGEM” não teria sido cumprido as profecias, conclui-se que o Messias há de ser filho natural, concebido por homem e mulher, e não se misturaria a crenças pagãs desvinculando-o do curso natural do propósito Divino, e caindo por terra mais uma das falácias pregada pelo sistema religioso romano, a grande prostituta, babilônia e sua filhas.