Beit El Shamah ®. Todos os Direitos Reservados.

+55 (21) 2490-2427 

Tu Bishvat

O dia 15 de Shevat (Tu Bishvat | ט"ו בשבט) é considerado o "ano novo das árvores" - "Rosh Hashana La'ilan". Este dia honra os frutos de Israel, o solo renova-se para germinar tudo que está em potencial.

Assim também nosso trabalho inicia-se interiormente, devemos nos preparar quando ainda resultados não são visíveis - assim como quando uma semente germina ainda não se vê seu fruto, com este processo desenvolvemos nossa emuná no Criador e nossa força interior para apegarmo-nos à kedushá e crescer - dar frutos. Nos reconectamos com o pensamento de que tudo o que semeamos, colhemos - principalmente no plano superior. Quanto mais preparamos nossa essência, mais nutrimo-nos para que desabrochemos da melhor forma possível.

É costume realizar uma refeição incluindo frutas neste dia, para corrigir o pecado de "Etz Hadaat" - da árvore do conhecimento. Chaza"l (nossos sábios de abençoada memória) explicam que Adam só estaria pronto para comer desta árvore após o Shabat, quando adquiriria daat para reconhecer a diferença entre bem e mal - discernimento proveniente da kedushá (santidade) para cumprir o propósito pelo qual o mundo foi criado.

Cada fruta está conectada a um dos mundos segundo suas características, alguns exemplos:

Atzilut: maçã, morango, figos, goiaba, uva, etrog, etc.

Briá: tangerina, laranja, etc.

Yetzirá: manga e outras frutas com caroço.

Assiá: nozes, côco, etc.

* Algumas frutas hoje em dia, como o morango, figo ou goiaba, por exemplo, só devem ser consumidas se sua produção tiver supervisão rabínica e forem devidamente checadas antes da ingestão para que não comamos tolaim (vermes), D'us não permita, - que é uma proibição para Am Israel.

Pode-se notar pelas características das frutas citadas acima relacionadas aos mundos que quanto mais completa e aproveitada a fruta poderá ser, mais elevada está, e quando mais klipot (cascas) tiver, mais longe está dos níveis mais altos de espiritualidade.

Os homens judeus costumam rezar neste dia que seja germinado um bom etrog para realizarem de forma especial a mitzvá de Arbaat Haminim (quatro espécies: hadás, aravá, lulav e etrog) no próximo Sucot.

É correto comer a quantidade necessária de pelo menos uma espécie de fruta de Israel (azeitona, tâmara, uva, figo ou romã) para dizer a brachá Meen Shalosh (al haetz veal pri haetz), também as mesmas condições ao tomar vinho.

Em Tu Bishvat também dizemos a brachá "Shehecheyanu" para frutas de temporada, como castanhas, tangerinas ou laranjas que serão comidas pela primeira vez neste ano judaico, por exemplo - da mesma forma devem ser revisadas antes de ingeridas.

O potencial está dentro de cada um mas a ação precisa manifestar-se, para Am Israel esta ação está conectada à prática das mitzvot, das halachot, que através do estudo e cumprimento da Torah aponta para o objetivo pela qual o mundo foi criado.

Tu Bishvat Sameach!